segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Desde 2006 me posiciono contra o Presídio Federal

Desde 2006 me posiciono contra a instalação, em Campo Grande, de uma Penitenciária Federal. O artigo a seguir foi publicado no dia 26 de dezembro de 2006.

-

Artigo do prefeito: A lei vale para todos

Somos contrários à iniciativa da União de implantar em nossa cidade o Presídio Federal com a explícita finalidade de ser um depósito de presos perigosos de todas as partes do País. Essa preocupação, a despeito de sua propalada e jamais comprovada eficácia na neutralização do recluso, implicará certamente na migração à nossa Capital dos chefes de bandos criminosos, líderes de gigantescas organizações criminais, membros de violentas facções do crime organizado, quase todos condenados a várias décadas de prisão, alguns sem qualquer expectativa de liberdade e, por isto mesmo, fadados a transformarem o ócio da punição em tempo para arquitetar fugas, reações e rebeliões cada vez mais violentas.

Todos estão cansados de saber que junto desses líderes do crime vem sempre uma estrutura devidamente organizada para agir por fora do presídio de "segurança máxima". Tenho certeza de que não merecemos isto!

Já que esse "presente de grego" está quase pronto por que não usá-lo para desafogar as superlotações existentes nos presídios e delegacias do nosso Estado?

Não bastasse essa preocupação, descrevo aqui o total descaso que setores do Ministério da Justiça cometeram e continuam cometendo com a Prefeitura Municipal de Campo Grande.

Várias irregularidades na construção daquela unidade não foram sanadas juntos aos nossos órgãos competentes. Nunca apresentaram: o projeto arquitetônico de construção, o alvará da obra, as licenças ambiental e de instalação, o Habite-se e o alvará de funcionamento. Nem a contrapartida, acordada e devidamente assinada na permuta da área do presídio, foi transferida para a Prefeitura. A Colônia Penal Agrícola continua sendo usada pelo Estado de Mato Grosso do Sul e nosso município com mais um prejuízo. Fizemos várias notificações por escrito, algumas desde maio de 2005, e o descaso é cada vez mais sincronizado e evidente. A lei é feita e vale para todos.

Se não nos respeitam agora, imaginem quando o presídio estiver pronto para receber o Marcola, o Fernandinho Beira-Mar, o Rafinha do PCC e outros mais do crime.

Campo Grande, nossa bela Capital Morena, continua vivendo um clima muito bom, envolvida por excelentes administrações onde a cada ano se elevam nossos índices de qualidade de vida. Temos a vocação ordeira e pacífica e sempre soubemos receber muito bem aqueles que por aqui nos ajudam a se desenolver.

Não vou aceitar e não transigirei! Continuo a resistir até meu último instante de força para que nossa cidade possa ser respeitada e que aqui não seja um depósito de delinqüentes perigosos que ninguém quer por perto.

Nelson Trad Filho

Prefeito Municipal de Campo Grande

Nenhum comentário: