segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Me reúno hoje com OAB e MP para repudiar “prisionização” de CG

Me reúno nesta segunda-feia, às 15h, em meu gabinete, com representantes da seccional sul-mato-grossense da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), do Ministério Público e da sociedade civil organizada para mobilizar uma ação de repúdio à transferência de dez perigosos traficantes presos no Rio de Janeiro para o Presídio de Segurança Máxima de Campo Grande.

Atualmente, a Máxima abriga cerca de 150 presos de alta periculosidade provenientes de outros estados. A preocupação é que a presença destes detentos em Campo Grande possa contribuir para o aumento dos índices de violência na capital e no estado já que, sua presença na cidade pode atrair comparsas e células criminosas.

Estou indignado com a decisão da Secretaria de Segurança Pública do Rio de Janeiro e considero a transferência uma falta de respeito para com a população campo-grandense. Campo Grande não é a casa da mãe Joana.

Apesar da indignação, não há mecanismos legais que impeçam a transferência. Por isso, na próxima quarta-feira, vou à Brasília, onde me reuno com o ministro da Justiça Tarso Genro e com representantes do Departamento Nacional do Sistema Penitenciário (Depen), a quem transmitirei a insatisfação da população de Campo Grande em relação às transferências.

Nenhum comentário: