quarta-feira, 17 de março de 2010

Colocando os pingos nos “is”

Uma gestão pública bem intencionada não está imune a erros involuntários, afinal seres humanos governam e ninguém há de discutir a condição humana da falibilidade.

Entretanto, quando os erros são superdimensionados ao ponto de eclipsar toda uma série de iniciativas positivas que visam o aperfeiçoamento da máquina pública, conclui-se que a crítica imparcial e construtiva se transforma em propaganda política inspirada pelas circunstâncias eleitorais.

É o que está ocorrendo hoje em relação a alguns órgãos de imprensa que propositalmente ignoram o esforço da Prefeitura Municipal de Campo Grande no enfrentamento dos problemas que afligem a cidade.

Diante disso, deve-se esclarecer que a Prefeitura está agindo de forma pronta e eficaz, procurando conter o avanço de problemas decorrentes das fortes chuvas que castigaram a cidade, em volume nunca antes visto, nos últimos 30 dias.

Diversas ações preventivas também foram realizadas em Campo Grande, atestando de forma definitiva que o governo municipal sempre atuou com energia e vigor, dentro de rigorosos padrões técnicos, para fazer frente às intempéries.

Iniciativas como o Plano Diretor de Drenagem Urbana, realizado pelo maior especialista do Brasil na área, Carlos Eduardo Morelli Tucci, e pago com recursos de obras anti-enchentes; a conclusão das obras nos fundos de vale dos Córregos Vendas, Bandeira, Prosa e Sóter; a execução das mesmas ações em andamento nos Córregos Cabaça, Segredo, Lagoa, Imbirussú, Serradinho e Anhanduí; a lei editada em 2005, obrigando que novas edificações apresentem 12,5% de taxa de permebialização nos terrenos; o programa Córrego Limpo, iniciado no ano passado, são algumas entre muitas ações capitaneadas pelo executivo municipal que objetivaram preparar a cidade para o futuro.

É importante lembrar que Campo Grande tem trinta e três córregos cruzando seu perímetro urbano. Trata-se de uma cidade cuja localização geográfica favorece a ocorrência de alagamentos e enchentes. Por isso, além das medidas de direto enfrentamento tópico, que se dão no momento do sinistro, as ações preventivas implementadas pela Prefeitura devem ser incrementadas para evitar novos transtornos à população.

Diante disso, é fundamental que todos se conscientizem de que o lixo não pode e não deve ser jogado nas ruas, uma vez que os bueiros e as bocas-de-lobo – principais vítimas do lixo e do entulho mal acondicionados ou destinados – são instrumentos valiosos no sistema de escoamento e vazão das águas pluviais.

Concluindo, a população campo-grandense pode ter a certeza de que a Prefeitura está atenta e agindo para evitar e solucionar problemas causados pelas chuvas. Pode ter certeza, também, que esta administração aceita as críticas construtivas, que tenham como finalidade somar, colaborar com o bem comum, com o crescimento da cidade e seu desenvolvimento.

Devemos e vamos colocar todos os pingos nos “is”. Temos este dever e vamos cumpri-lo, sempre com transparência e com base nas conclusões dos mais renomados especialistas de nossa cidade.

O tempo é, e sempre será senhor da razão.

Nelson Trad Filho
Prefeito de Campo Grande
CRM 2164-MS

Nenhum comentário: