quarta-feira, 7 de abril de 2010

Conhecendo um pouco mais sobre a Traje

Já falei algumas vezes aqui no blog, mas não custa tocar novamente no assunto: vocês sabiam que em Campo Grande há um projeto pioneiro no Brasil, com direito a um método especialmente elaborado, com o bojetivo de recuperar o nível escolar de jovens de 15 a 17 anos? É o projeto Traje, cuja sigla significa Travessia Educacional do Jovem Estudante.

A Traje é uma excelente oportunidade para jovens de 15 a 17 anos que estiverem em faixa escolar menor que a adequada à faixa etária concluírem o ensino fundamental. A propósito, as atividades da traje já estão em pleno funcionamento, no antigo Colégio Osvaldo Cruz (Avenida Noroeste, n° 5550, próximo ao Mercadão Municipal).

Pioneira no Brasil, a Traje foi criada pela Secretaria Municipal de Educação, por conta da determinação do Ministério da Educação de não permitir o ingresso de alunos com menos de 18 anos aos programas de Educação de Jovens e Adultos (EJA). Nesse contexto, foi necessária a elaboração de uma proposta diferenciada de ensino, na qual o jovem pudesse concluir o ensino fundamental em três anos e ainda receber formação para o mercado de trabalho.

Recomendo a vocês a leitura desta matéria, que explica bastante sobre os pilares da Traje.

2 comentários:

Anônimo disse...

ola

Solzinha disse...

Nelsinho amanhã haverá reunião no HU para decidir sobre a EBSERH. Espero sinceramente que voce não compartilhe desse empreendimento que visa não apenas a privatização dos HU, como também interesses particulares.
Estamos todos apreensivos e com o futuro de nossas famílias e de nosso hospital em suas mãos.
Não permita que Interesses privados dissolva o patrimõnio da União.
Que o dinheiro público se desintegre dessa forma.
Preserve o que é de todos nós.
O Governo tem condições de administrar a saúde sem interferência de terceiros.
Chega de servir à conveniência de interesses privados.
Precisamos apenas de pessoas comprometidas de fato com a saúde pública e consciente de que nós funcionários que amamos o que fazemos nos esforçamos no intúito de bem servir a população e de construir um futuro digno atravéz de nossas carreiras funcionais que serão alvo de extinção caso seja aprovada essa empreita da EBSERH.
Povo oprimido é aquele que luta para efetivamente realizar-se profissionalmente e depara-se com uma pequena parcela da sociedade manipulando o poder público através de seus interesses pessoais.
assim nos sentimos neste momento.
porisso deixo aqui este pedido a voce , na esperança de ter em voce um aliado não apenas dos funcionários (enfermagem e outros),como também o político sério e comprometido com o bem estar do povo.